O melão tem um sistema radicular muito expandido e profundo com elevada capacidade de extracção, o que torna a planta morfologicamente e fisiologicamente resistente à seca. Essa resistência pode porém ser notavelmente modificada pelas condições de cultivo: o acolchoado com película de plástico, tal como é conhecido, tem por efeito uma concentração de grande parte do sistema radicular do volume de solo protegido que, no caso de melão, traduz-se numa redução do volume de solo explorado estimada em cerca de 50%. Essa redução é em grande parte compensada pelo aumento da eficiência do sistema radicular sob o acolchoado, devido principalmente à constância de humedecimento, além da mais elevada temperatura do substrato.

Efeitos da irrigação

No cultivo do melão com acolchoado pode-se observar melhorias produtivas tanto em pleno ar como com práticas que forçam a antecipação produtiva com níveis de irrigação suficientemente contidos; regimes de irrigação que restituem às plantas todas as suas exigências hídricas, não forneceram incrementos produtivos.
Recomenda-se níveis de irrigação entre 50% e 75% de restituição das exigências hídricas, tendo o cuidado, todavia, de prestar atenção às fases de floração e amadurecimento do fruto, na qual a cultura é particularmente sensível ao stress hídrico.

O Sistema de irrigação

Nas culturas com acolchoado normalmente se recorre à microirrigação com mangueiras, iSiplastTape, ou asas gotejantes posicionadas abaixo da película de plástico.
Isso permite atingir dois objectivos:

Os melhores resultados são obtidos com a adopção de asas gotejantes pela mais alta uniformidade e precisão na distribuição dos volumes de irrigação, sobretudo quando se deseja utilizar a fertirrigação.
A irrigação por aspersão na cultura acolchoada geralmente não é recomendada, pois causa: