OLIVEIRA

A oliveira, Olea Europea, sempre foi considerada erroneamente uma cultura com poucas exigências hídricas e a irrigação era reservada apenas à azeitona de mesa. Hoje quase todos os cultivos intensivos e tradicionais de oliveiras são irrigados para obter os seguintes resultados:

A espécie necessita de uma elevada radiação luminosa, baixa humidade atmosférica, temperaturas não rígidas e terrenos com textura média bem drenados e com ausência de asfixia da raiz. O seu sistema radicular é superficial, mas é capaz de desenvolver raízes em condições de se expandir a notáveis distâncias do tronco. Essa espécie apresenta características morfológicas, anatómicas e fisiológicas que a tornam capaz de resistir em condições de carência hídrica. Mediamente pode-se considerar que o consumo diário de uma oliveira adulta em boas condições seja igual a 1.0 – 1.2 litros de água por metro quadrado de superfície foliar .

Para o cálculo dos volumes de irrigação a aportar à cultura é necessário considerar um Kc (Coeficiente cultural) igual a 0,5 – 0,7 que pode assumir também o valor 1,0 nos sistemas relvados e situados em zonas quentes-áridas. Mediamente o consumo hídrico sazonal é de cerca 2000 – 2500 m3/ha/ano.

A irrigação assume um papel ainda mais importante na moderna cultura superintensiva de oliveiras, que prevê investimentos de 1600 – 1900 plantas por hectare com consequente aumento das exigências hídricas.

Também para a oliveira a irrigação localizada é a técnica mais eficiente do ponto de vista agronômico e mais conveniente economicamente. O uso de tubos gotejadores como Junior® e Multibar® permitem distribuir a água e a solução nutritiva em posição ideal com relação aos sistemas radiculares. A vazão dos gotejadores varia de 1,6 a 3,8 l/h e é escolhida com base no ajustamento do sistema, na tipologia do terreno, na qualidade do recurso hídrico e no tipo do olival. Nos sistemas intensivos com ajuste de sistema 5 x 5 ou 6 x 6 é preferível usar uma ou duas linhas de tubos gotejadores por fila com gotejadores distanciados entre 60 e 125 cm enquanto para olivais superintensivos com ajuste de sistema de 3.5 x 1.5 m recomenda-se a distância de 50 cm de modo a criar uma faixa húmida contínua e favorecer o desenvolvimento das plantas com sistema radicular muito reduzido. Nos sistemas tradicionais com ajustes elevados para evitar o desperdício de água entre as duas plantas podem-se utilizar também os gotejadores de tipo online como os iDrop® com vazão de até 8 l/h em um número suficiente para cada árvore.

Os tubos gotejadores podem ser instalados nos fios de sustentação ou apoiadas no solo. A prática de irrigação que está cada vez mais se difundindo para a irrigação das oliveiras é a subirrigação que prevê o enterramento de uma ou duas linhas de tubos gotejadores por fila. As vantagens do enterramento são evidentes:

 

 

Os tubos gotejadores Irritec para a subirrigação possuem proteção ROOTGUARD® que assegura a intrusão de raízes nos distribuidores. A instalação do sistema acontece mecanicamente com o uso de ferramentas apropriadas que tornam o trabalho mais rápido e menos caro. No caso de olivais tradicionais a subirrigação elimina a despesa de fios de sustentação e postes de ancoragem.